Notícias

Alunos se destacam na XII Olímpiada Sergipana de Química

Grupo formado por 25 estudantes conquistou medalhas de ouro, prata, bronze e menções honrosas

Um time de vencedores. Assim, podemos resumir a participação dos alunos do Colégio do Salvador, em Aracaju, na XII Olimpíada Sergipana de Química. A solenidade de premiação realizada na sexta-feira, 28, no auditório da Universidade Federal de Sergipe, campus São Cristóvão, região metropolitana da capital, celebrou o esforço conjunto de professores, coordenadores e das estrelas da competição: 25 alunos dedicados dos 1º, 2º e 3º anos da instituição, que conquistaram medalhas de ouro, prata, bronze e menções honrosas.

“Nosso professor Roberto Gois tem um papel fundamental para esse resultado, pois é através do trabalho e dedicação dele que os alunos são estimulados a participar de competições como essa, e mais que isso, são estimulados a aprender e a gostar da disciplina. O número de estudantes participantes aumenta a cada ano, bem como o número de premiações e isso é maravilhoso. Ouro ponto interessante é ver o quanto eles se envolvem e se esforçam para conquistar as medalhas de ouro, prata e bronze, além das menções honrosas. É um processo evolutivo muito positivo para os nossos alunos e para a nossa instituição”, destacou Nair Almeida, diretora do Colégio do Salvador.

“Essa solenidade celebra a culminância de um período de estudo onde eles se dedicaram muito e participaram da prova específica de química que avaliou o quanto eles evoluíram não somente dentro da escola, mas a nível estadual, pois assim é a Olimpíada de Química, e isso dá um retorno muito gratificante aos nossos alunos. Muitos deles participaram no ano passado e novamente estiveram envolvidos nesta competição. Estou muito orgulhoso dessa turma, é sem dúvidas um momento especial para mim enquanto educador, para os estudantes e toda a equipe do colégio”, ressaltou Roberto Gois da Silva, professor de Química.

A Olimpíada Sergipana de Química serve de etapa classificatória para outras competições de conhecimento a exemplo da Olimpíada Brasileira de Química – OBQ e a Olimpíada Norte e Nordeste de Química. “É uma grande emoção, pois nesta cerimônia temos a participação de estudantes de escolas públicas e particulares, e todos nos aplaudem quando somos chamados ao palco. É uma sensação muito boa de vitória, pois acabo de ingressar no Ensino Médio e já consegui uma conquista como essa, que é prova do nosso esforço e um reconhecimento muito importante. A prova é complicada, principalmente a segunda fase e é por isso que esse resultado é muito gratificante”, afirmou Ana Letícia Pinto de Menezes, aluna do 1º ano, premiada com menção honrosa.

“Foi muito difícil e árduo o caminho até aqui e quando vem o resultado positivo é muito bacana. Minha família vibrou muito com o resultado tanto na primeira, quanto na segunda fase da olimpíada, e agora recebo essa menção honrosa que é o resultado de todo esse processo que envolveu muito esforço e estudos”, disse Antônio Gabriel Souza Gomes, aluno do 1º ano do Ensino Médio.   

“A prova é bem no estilo da aplicada no Enem e acaba servindo de preparação também para o próprio exame. Estou muito feliz com o resultado, pois aproveitem as aulas, estudei também em casa e a vitória veio”, revelou Larissa Santana de Aguiar, aluno do 1º ano, medalhista de bronze.

“Essa conquista é o resultado de muito esforço e dedicação, pois me empenhei e fui muito bem nas provas. Gostaria de agradecer também ao professor Roberto que fez um trabalho maravilhoso com toda a turma e isso é mérito dele, pois passei a gostar muito mais da disciplina após as aulas dele”, enfatizou Leonardo Alves Amaral, aluno do 1º ano, medalhista de ouro.

“Me sinto muito feliz com essa conquista do 1º lugar geral, que é fruto de um trabalho conjunto, ou seja, do meu esforço e do estímulo do professor Roberto, que desde o começo do ano trouxe para os alunos assuntos referentes aos presentes na Olimpíada Sergipana de Química. Sempre me interessei pela matéria e acredito que esse fator também contou para conseguir essa medalha”, afirmou Agnaldo Celestino Feitosa Neto, aluno do 1º ano, medalhista de ouro e 1º lugar geral da competição.

“Esse ouro é fruto de muito empenho e do ensino que temos no colégio, onde desde o 9º ano sou estimulada pelos professores a participar de olimpíadas. Essas participações além de nos ajudar a aprender mais, também conta como nota nas provas, o professor nos incentiva muito e o resultado é esse, maravilhoso”, vibrou Renata Oliveira Costa Menezes, aluna do 2º ano, medalhista de ouro.

“Através do resultado da Olimpíada Sergipana de Química nos classificamos para a Norte e Nordeste ou para a Brasileira. No meu caso consegui classificar para as duas e na Norte e Nordeste acertei 50% da prova e já conquistei a menção honrosa. A premiação será no Rio Grande do Norte e essa é vitória é fruto da dedicação dos professores que tive, pois Química era a pior matéria para mim há uns anos e se tornou uma das que mais gosto”, comentou Ana Caroline Costa Mota, aluna do 3º ano, classificada para as Olimpíadas Norte e Nordeste e Brasileira de Química.

O desempenho dos alunos também foi comemorado por pais e responsáveis que fizeram questão de prestigiar o evento. “É uma alegria muito grande para todos nós e um orgulho em participar deste momento. Meu filho sempre foi estudioso e Química é uma das matérias que ele mais se identifica. Essa evolução foi muito natural e os frutos estão aí, mais um prêmio, mais um reconhecimento na trajetória dele”, disse Elino Silva de Oliveira, advogado, pai do estudante Guilherme Nascimento de Oliveira, de 18 anos, estudante do 3º ano.

Galeria Voltar Galeria Avançar
Carregando legenda