História

História

Colegio do Salvador - Aracaju-SE
No início da década de trinta, o casal José Leite e Anísia, já pais dos doze filhos que compunham a família Galrão, mudarem-se da Bahia para Sergipe. Apenas uma das filhas, Zilda, permaneceu em Salvador para concluir o curso pedagógico. Uma vez formada, todavia, a jovem mudou-se para Aracaju, onde começou a dar aulas particulares para alguns jovens e crianças.

 
No início de 1935, satisfeita com o resultado do seu trabalho, resolveu abrir um colégio o qual se instalou, primeiramente, na sala de uma casa muito simples, localizada na Rua São Cristóvão. Naquele ano, uma turma de quinze alunos deu seguimento ao primeiro ano de vida do estabelecimento de ensino que recebeu o nome de Colégio do Salvador.

Em seguida e sempre aumentando o número de alunos, o Colégio adotou o regime de pequeno internato. Nessa época, Bernadete, uma das irmãs de Zilda, passou a auxiliá-la no novo empreendimento, enquanto, paralelamente, terminava os seus estudos. Também a irmã Nadir que, até então, ensinava no Colégio Jackson Figueiredo, veio juntar-se à equipe. Por sua vez, Mariá, uma outra irmã, iniciava o curso primaria no próprio Colégio.
 
Em 1942, quando o número de alunos já ultrapassava mais de uma centena, o Colégio mudou-se para a Travessa José de Faro, de onde só sairia, tempos depois, para funcionar na famosa sede que se localizou na Avenida Ivo do Prado, 182. Naquele mesmo ano, Zilda cedeu a um desejo antigo, o de se tornar religiosa, e ingressou no Instituto das Missionárias de Jesus Crucificado, na cidade de Campinas, em São Paulo, passando a ser conhecida como Irmã Zilda.

O Colégio, então, ficou entregue às irmãs mais jovens, Bernadete e Mariá, que contavam, à época, 18 e 14 anos respectivamente, já que Nadir também se afastou, vez que, ao se casar, foi residir em Salvador. Dali em diante, o Colégio prosperou e os alunos passaram a obter, nos exames a que se submetiam, excelentes resultados.

Com o crescimento da instituição, integraram-se ao quadro duas outras irmãs pertencentes à numerosa prole: Amanda e Mariazinha. Em 1959, foi aberto o curso do ginásio com turmas mistas e, em 1976, partiu-se para o segundo grau.

Hoje, instalado em nova e ampla sede, localizada na Avenida Ministro Geraldo Barreto Sobral, s/n, no Bairro Jardins, o Colégio do Salvador busca a modernidade, mas sem esquecer os princípios de fé, respeito e cidadania que devem nortear “Os jovens de hoje” – “Os grandes homens do amanhã”. Vem-se atualizando, porém conserva intacto seu tradicional padrão de ensino. Assimila as novas propostas da área educacional sem, contudo, esquecer o desenvolvimento religioso, moral e cívico.

Continuam à frente do Colégio as incansáveis Bernadete (i.m.) e Mariá, mas atualmente com a ajuda de seus filhos, Marco Antônio e sua mulher, Gina, Marco Eugênio, Bernadetinha e Anisinha, os quais trazem, no sangue, o amor à educação. E, assim se perpetua o sucesso do Colégio do Salvador. Um sucesso fruto da crença de que educar é mais do que um ofício: é um compromisso e uma arte!